quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Questões de AFO para TCU e CESPE - Parte X – Final

Olá amigos! Como é bom estar aqui!

É o último artigo da série sobre AFO e o edital do TCU. Vamos totalizar 50 questões do CESPE!

O tópico 9 é: Tópicos selecionados da Lei Complementar n.º 101/2000: princípios, conceitos, planejamento, renúncia de receitas, geração de despesas, transferências voluntárias, destinação de recursos para o setor privado, transparência da gestão fiscal, prestação de contas e fiscalização da gestão fiscal.

46) (CESPE - Analista Judiciário - Administrativo - STM - 2011) Considera-se obrigatória e de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período superior a dois exercícios.

Segundo o art. 17 da LRF, considera-se obrigatória de caráter continuado a despesa corrente derivada de lei, medida provisória ou ato administrativo normativo que fixem para o ente a obrigação legal de sua execução por um período superior a dois exercícios.
Resposta: Certa

47) (CESPE - Planejamento e Execução Orçamentária - Min. da Saúde - 2008) Se a prefeitura de um grande município brasileiro, que já concede, para a instalação de indústrias novas, isenção de impostos municipais por 20 anos, quiser estender o prazo de isenção para 25 anos, poderá fazê-lo sem a necessidade de medidas compensatórias, porque o benefício já está criado por lei.

A ampliação de um incentivo ou benefício de natureza tributária do qual decorre renúncia da receita segue as mesmas regras da concessão. Portanto, não há dispensa de nenhuma das condições.
Resposta: Errada

48) (CESPE - TFCE - TCU - 2009) Constatando-se, após a aprovação e publicação do orçamento, a impossibilidade de arrecadação da receita prevista no exercício, a alternativa de que dispõe o governo para cumprir a programação aprovada é a obtenção de empréstimos a título de antecipação da receita orçamentária.

A alternativa de que dispõe o governo para cumprir a programação aprovada em caso de impossibilidade de arrecadação da receita prevista no exercício é a limitação de empenho.
Resposta: Errada

49) (CESPE - Analista de Economia - MPU - 2010) Transferência voluntária consiste na entrega de recursos correntes ou de capital a outro ente da Federação, a título de cooperação, auxílio ou assistência financeira, que não decorra de determinação constitucional, legal ou os destinados ao Sistema Único de Saúde (SUS).

De acordo com o art. 25 da LRF, entende-se por transferência voluntária a entrega de recursos correntes ou de capital a outro ente da Federação, a título de cooperação, auxílio ou assistência financeira, que não decorra de determinação constitucional, legal ou os destinados ao Sistema Único de Saúde.
Resposta: Certa

50) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) Qualquer nova ação governamental que implique aumento de despesa deve ser considerada irregular e lesiva ao patrimônio público, se não houver a estimativa do impacto orçamentáriofinanceiro no exercício em que deva entrar em vigor.

Consoante o art. 16 da LRF, a criação, expansão ou aperfeiçoamento de ação governamental que acarrete aumento da despesa será acompanhado, entre outros, de estimativa com as premissas e metodologia de cálculo utilizadas, do impacto orçamentáriofinanceiro no exercício em que deva entrar em vigor e nos dois subsequentes.
Logo, se não houver a estimativa do impacto orçamentáriofinanceiro no exercício em que deva entrar em vigor a despesa já será considerada irregular e lesiva ao patrimônio público.
Resposta: Certa

Ficamos por aqui! Aproveite para revisar para a prova com as 50 questões desses 10 artigos!

Ótima prova a todos!

Forte abraço!
Sérgio Mendes

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Questões de AFO para TCU e CESPE - Parte IX

Continuamos com a série de artigos sobre AFO e o edital do TCU.

O tópico 8 é:
Gestão organizacional das finanças públicas: sistema de planejamento e orçamento e de programação financeira constantes da Lei n.º 10.180/2001.

41) (CESPE - Contador - Min Saúde - 2010) Os órgãos setoriais e específicos que integram o sistema de planejamento e de orçamento federal são sujeitos à orientação normativa e à supervisão técnica do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, sem prejuízo da subordinação ao órgão em cuja estrutura administrativa estiverem integrados.

No sistema de planejamento e de orçamento federal, os órgãos setoriais e específicos ficam sujeitos à orientação normativa e à supervisão técnica do órgão central do Sistema, sem prejuízo da subordinação ao órgão em cuja estrutura administrativa estiverem integrados.
Resposta: Certa

42) (CESPE - Gestão de orçamento e finanças - IPEA - 2008) Promover a articulação com os estados, o Distrito Federal e os municípios, visando a compatibilização de normas e tarefas afins aos diversos sistemas, nos planos federal, estadual, distrital e municipal é uma das finalidades do Sistema de Planejamento e Orçamento Federal.

É uma das finalidades do Sistema de Planejamento e Orçamento Federal, dentre outras, promover a articulação com os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, visando a compatibilização de normas e tarefas afins aos diversos Sistemas, nos planos federal, estadual, distrital e municipal.
Resposta: Certa


43) (CESPE - Gestão de orçamento e finanças - IPEA - 2008) As normas baixadas pelo órgão central do sistema de planejamento e de orçamento federal não são obrigatórias para as unidades detentoras de autonomia financeira e orçamentária nos termos constitucionais, como é o caso dos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário.

Sem prejuízo das competências constitucionais e legais de outros Poderes, as unidades responsáveis pelos seus orçamentos ficam sujeitas à orientação normativa do órgão central do Sistema.
Resposta: Errada


44) (CESPE - Gestão de orçamento e finanças - IPEA - 2008) Não é finalidade do Sistema de Administração Financeira Federal gerenciar o processo de planejamento e orçamento federal.

É finalidade do Sistema de Planejamento e de Orçamento Federal, entre outras, gerenciar o processo de planejamento e orçamento federal. Logo, não é finalidade do Sistema de Administração Financeira Federal
Resposta: Certa


45) (CESPE - Analista de Orçamento - MPU - 2010) As atribuições do sistema de administração financeira federal compreendem as atividades de programação financeira da União, de administração de direitos e haveres, garantias e obrigações de responsabilidade do Tesouro Nacional, e de orientação técnico-normativa referente à execução orçamentária e financeira.

O Sistema de Administração Financeira Federal compreende as atividades de programação financeira da União, de administração de direitos e haveres, garantias e obrigações de responsabilidade do Tesouro Nacional e de orientação técnico-normativa referente à execução orçamentária e financeira.
Resposta: Certa


Saiu a segunda edição do meu livro de AFO, como teoria completa e 1000 questões. Acesse
http://www.portaldoorcamento.com.br/p/livro.html para saber como adquirir um exemplar a preços promocionais.

Forte abraço!
Sérgio Mendes

domingo, 23 de outubro de 2011

Questões de AFO para TCU e CESPE - Parte VIII

Continuamos com a série de artigos sobre AFO e o edital do TCU.

O tópico 7 é: Ciclo orçamentário: elaboração da proposta, discussão, votação e aprovação da lei de orçamento. Execução orçamentária e financeira: estágios e execução da despesa pública e da receita pública. Programação de desembolso e mecanismos retificadores do orçamento. Conta Única do Tesouro Nacional: conceito e previsão legal.

36) (CESPE - Analista de Controle Interno - MPU - 2010) A elaboração do orçamento anual da União ocorre no âmbito do sistema de planejamento e de orçamento federal, que tem como órgão central o Ministério da Fazenda.

A elaboração do orçamento anual da União ocorre no âmbito do sistema de planejamento e de orçamento federal, que tem como órgão central o Ministério do Planejamento.
Resposta: Errada

37) (CESPE - AUFC - TCU - 2009) Cabe a uma comissão mista permanente de senadores e deputados o exercício do acompanhamento e da fiscalização orçamentária, sem prejuízo da atuação das demais comissões do Congresso Nacional e de suas casas.

Consoante a CF/1988, caberá à Comissão mista permanente de Senadores e Deputados:
I - examinar e emitir parecer sobre os projetos relativos ao PPA, LDO, LOA, créditos adicionais e sobre as contas apresentadas anualmente pelo Presidente da República;
II - examinar e emitir parecer sobre os planos e programas nacionais, regionais e setoriais previstos nesta Constituição e exercer o acompanhamento e a
fiscalização orçamentária, sem prejuízo da atuação das demais comissões do Congresso Nacional e de suas Casas criadas de acordo com a CF/1988.
Resposta: Certa
 
38) (CESPE - Agente - Polícia Federal - 2009) O estágio de execução da receita classificado como arrecadação ocorre com a transferência dos valores devidos pelos contribuintes ou devedores à conta específica do Tesouro.

É no estágio de execução da receita classificado como recolhimento que ocorre a transferência dos valores devidos pelos contribuintes ou devedores à conta específica do Tesouro.
Resposta: Errada
 
39) (CESPE - Analista Administrativo - ANAC - 2009) Ao se realizar a execução orçamentária da despesa, deve haver, no momento da liquidação, a baixa do crédito disponível de acordo com sua a destinação.
 
O empenho importa deduzir seu valor de dotação adequada à despesa a realizar, por força do compromisso assumido. Logo, ao se realizar a execução orçamentária da despesa, deve haver, no momento do empenho, a baixa do crédito disponível de acordo com sua a destinação.
Resposta: Errada

40) (CESPE - Técnico de Controle Interno - MPU - 2010) Em casos excepcionais, pode haver saques da conta única para pagamento de despesas que não tenham sido formalmente processadas.

Somente são permitidos saques para o pagamento de despesas formalmente processadas e dentro dos limites estabelecidos na programação financeira. No entanto, em casos excepcionais e para fins específicos, o Ministro da Fazenda poderá autorizar o levantamento de tal restrição, possibilitando haver saques da conta única para pagamento de despesas que não tenham sido formalmente processadas ou fora dos limites estabelecidos na programação financeira.
Resposta: Certa


Saiu a segunda edição do meu livro de AFO, como teoria completa e 1000 questões. Acesse
http://www.portaldoorcamento.com.br/p/livro.html para saber como adquirir um exemplar a preços promocionais.

Forte abraço!
Sérgio Mendes

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Questões de AFO para TCU e CESPE - Parte VII

Continuamos com a série de artigos sobre AFO e o edital do TCU.

O tópico 6 é: Classificações orçamentárias. Classificação da despesa pública: institucional, funcional, programática, pela natureza. Classificação da receita pública: institucional, por categorias econômicas, por fontes.

31) (CESPE - Analista Judiciário - Administrativo - STM - 2011) Na classificação institucional da despesa, cada unidade orçamentária é subdividida em diversos órgãos.

Na classificação institucional da despesa, cada órgão orçamentário é subdividido em diversas unidades.
Resposta: Errada

32) (CESPE - Analista - ANTAQ -2009) Segundo a natureza da despesa, amortização, juros e encargos da dívida deverão ser classificados na categoria econômica de despesas de capital.

Consoante a natureza da despesa, o grupo “amortização da dívida” deverá ser classificado na categoria econômica de despesas de capital. No entanto, o grupo “juros e encargos da dívida” deverá ser classificado na categoria econômica de despesas correntes.
Resposta: Errada

33) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) Na classificação por programas, uma atividade representa um instrumento de programação para alcançar os objetivos de um programa e compreende um conjunto de operações necessárias à manutenção da ação do governo, realizando-se de modo contínuo e permanente.

Na estrutura programática, a atividade é um instrumento de programação utilizado para alcançar o objetivo de um programa, envolvendo um conjunto de operações que se realizam de modo contínuo e permanente, das quais resulta um produto ou serviço necessário à manutenção da ação de Governo.
Resposta: Certa

34) (CESPE - Contador - CEHAP/PB - 2009) A origem, segundo nível da codificação da receita orçamentária, é utilizada para mensurar o impacto das decisões do governo na economia nacional.

A categoria econômica, primeiro nível da codificação da receita orçamentária, é utilizada para mensurar o impacto das decisões do governo na economia nacional.
Resposta: Errada

35) (CESPE - Agente - Polícia Federal - 2009) O recurso financeiro proveniente de outra pessoa de direito público pode ser classificado como receita de capital.

Vamos entender a diferença entre as duas origens:
Transferência Corrente: é o ingresso proveniente de outros entes ou entidades, referente a recursos pertencentes ao ente ou entidade recebedora ou ao ente ou entidade transferidora, efetivado mediante condições preestabelecidas ou mesmo sem qualquer exigência, desde que o objetivo seja a
aplicação em despesas correntes. É uma origem das receitas correntes.
Transferência de Capital: é o ingresso proveniente de outros entes ou entidades, referente a recursos pertencentes ao ente ou entidade recebedora ou ao ente ou entidade transferidora, efetivado mediante condições preestabelecidas ou mesmo sem qualquer exigência, desde que o objetivo seja a aplicação em despesas de capital. É uma origem das receitas de capital.
Logo, o recurso financeiro proveniente de outra pessoa de direito público pode ser classificado como receita de capital, caso se enquadre como uma transferência de capital. Também pode ser classificado como receita corrente, caso se enquadre como uma transferência corrente.
Resposta: Certa


Saiu a segunda edição do meu livro de AFO, como teoria completa e 1000 questões. Acesse
http://www.portaldoorcamento.com.br/p/livro.html para saber como adquirir um exemplar a preços promocionais.

Forte abraço!
Sérgio Mendes

Blog:
www.portaldoorcamento.com.br
e-mail: sergiomendes@estrategiaconcursos.com.br
Twitter: @sergiomendesafo
Facebook:
http://www.facebook.com/#!/profile.php?id=100001202058752

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Questões de AFO para TCU e CESPE - Parte VI

Continuamos com a série de artigos sobre AFO e o edital do TCU.

O tópico 5 é: Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO): objetivos, Anexos de Metas Fiscais, Anexos de Riscos Fiscais, critérios para limitação de empenho.

26) (CESPE - Administrador - Correios - 2011) A garantia de equilíbrio nas contas mediante o cumprimento de metas de resultados entre receitas e despesas, com limites e condições para a renúncia de receita e para a geração de despesas, é um dos principais objetivos da Lei de Responsabilidade Fiscal.

A responsabilidade na gestão fiscal pressupõe a ação planejada e transparente, em que se previnem riscos e corrigem desvios capazes de afetar o equilíbrio das contas públicas, mediante o cumprimento de metas de resultados entre receitas e despesas e a obediência a limites e condições no que tange a renúncia de receita, geração de despesas com pessoal, da seguridade social e outras, dívidas consolidada e mobiliária, operações de crédito, inclusive por antecipação de receita, concessão de garantia e inscrição em Restos a Pagar.
Resposta: Certa

27) (CESPE - Auditor - FUB - 2009) A partir da LRF, os anexos de metas fiscais e de riscos fiscais devem integrar o projeto de lei orçamentária anual.

Consoante a LRF, o Anexo de Metas Fiscais e o Anexo de Riscos Fiscais integram o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias.
Resposta: Errada


28) (CESPE - Técnico de Orçamento - MPU - 2010) Segundo a LRF, integrarão o projeto da LDO um anexo de metas fiscais e outro de riscos fiscais.

Consoante a LRF, o Anexo de Metas Fiscais e o Anexo de Riscos Fiscais integram o projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias.
Resposta: Certa

29) (CESPE - Inspetor de Controle Externo - TCE/RN - 2009) As metas fiscais constantes da LDO devem ter o seu efeito obrigatoriamente regionalizado.

Não há previsão legal de que as metas fiscais constantes da LDO devem ter o seu efeito obrigatoriamente regionalizado. A questão tentou confundir com metas do PPA, as quais devem ser regionalizadas. Relembro que a lei que instituir o PPA estabelece, de forma regionalizada, as diretrizes, objetivos e metas da Administração Pública Federal para as despesas de capital e outras delas decorrentes e para as relativas aos programas de duração continuada.
Resposta: Errada

30) (CESPE - Assessor Técnico de Controle e Administração - TCE/RN - 2009) Em relação à limitação de empenho e movimentação financeira, segundo critérios estabelecidos na LDO, não serão objeto de limitação as despesas que constituam obrigações constitucionais e legais do ente, inclusive aquelas destinadas ao pagamento do serviço da dívida.

Não serão objeto de limitação as despesas que constituam obrigações constitucionais e legais do ente, inclusive aquelas destinadas ao pagamento do serviço da dívida, e as ressalvadas pela lei de diretrizes orçamentárias.
Resposta: Certa

Saiu a segunda edição do meu livro de AFO, como teoria completa e 1000 questões. Acesse http://www.portaldoorcamento.com.br/p/livro.html para saber como adquirir um exemplar a preços promocionais.

Forte abraço!
Sérgio Mendes

domingo, 16 de outubro de 2011

Questões de AFO para TCU e CESPE - Parte V

Continuamos com a série de artigos sobre AFO e o edital do TCU.

O tópico 4 é: Plano Plurianual (PPA): estrutura, base legal, objetivos, conteúdo, tipos de programas. Decreto n.º 2.829/1998.

21) (CESPE - Procurador - PGE/AL - 2009) Os planos e programas nacionais e regionais previstos na CF serão elaborados de acordo com a LDO.

Os planos e programas nacionais, regionais e setoriais previstos nesta Constituição serão elaborados em consonância com o plano plurianual e apreciados pelo Congresso Nacional.
Resposta: Errada


22) (CESPE - Inspetor de Controle Externo - TCE/RN - 2009) Em nenhuma hipótese um investimento com duração superior a um exercício financeiro poderá ser iniciado sem sua prévia inclusão no PPA.
Nenhum investimento cuja execução ultrapasse um exercício financeiro poderá ser iniciado sem prévia inclusão no plano plurianual, ou sem lei que autorize a inclusão, sob pena de crime de responsabilidade.
Logo, há uma hipótese de um investimento com duração superior a um exercício financeiro ser iniciado sem sua prévia inclusão no PPA: existência de uma lei que autorize a inclusão.
Resposta: Errada

23) (CESPE – Técnico Superior – IPAJM – 2006) Uma das finalidades do plano plurianual (PPA), que deve vigorar por quatro anos, é estabelecer as diretrizes da administração pública.

A lei que instituir o plano plurianual estabelecerá, de forma regionalizada, as diretrizes, objetivos e metas da administração pública federal para as despesas de capital e outras delas decorrentes e para as relativas aos programas de duração continuada. Deve vigorar por quatro anos.
Resposta: Certa


24) (CESPE - Contador - Ministério dos Esportes - 2008) O período de vigência do PPA coincide integralmente com o do mandato do chefe do Poder Executivo.
O PPA não se confunde com o mandato do chefe do Executivo. O PPA é elaborado no primeiro ano de governo e entrará em vigor no segundo ano. A partir daí, terá sua vigência até o final do primeiro ano do mandato seguinte. A ideia é manter a continuidade dos Programas.
Resposta: Errada

25) (CESPE - Analista de Orçamento - MPU - 2010) O PPA contempla o planejamento para quatro anos de governo, iniciando-se no segundo ano de mandato presidencial e terminando no primeiro ano de mandato do chefe do Poder Executivo subsequente.

O PPA não se confunde com o mandato do chefe do Executivo. O PPA é elaborado no primeiro ano de governo e entrará em vigor no segundo ano. A partir daí, terá sua vigência até o final do primeiro ano do mandato seguinte. A ideia é manter a continuidade dos Programas.
Resposta: Certa


Prepare-se para o TCU com os cursos on-line de AFO em
http://www.estrategiaconcursos.com.br/professores/3000/cursos

Forte abraço!


Sérgio Mendes

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Consegui desconto de 30%!

Conseguimos mais descontos!
Minha assessoria já iniciou a pré-venda de algumas unidades da segunda edição do livro Administração Financeira e Orçamentária – Teoria e Questões.

Já na pré-venda é um dos  livros mais vendidos da Editora Método!

O valor aqui no Blog será de R$ 62,00 mais postagem. Desconto de mais de 30%. Eu irei autografar todos os livros. Para quem tiver interesse envie nome para o autógrafo, endereço (com CEP), que passamos os dados da conta para depósito. Pessoal, não se trata de uma livraria, logo são poucas unidades que consegui a preço promocional e estou repassando.

Entre em contato pelo e-mail: assessoria.sergio.mendes@hotmail.com.
Se tiver algum dúvida sobre contéudo do livro clica em "livros" aqui nesse blog.

Abraços!

domingo, 9 de outubro de 2011

Questões de AFO para TCU e CESPE - Parte IV

Continuamos com a série de artigos sobre AFO e o edital do TCU.

O tópico 3 é: Orçamento público no Brasil: Títulos I, IV, V e VI da Lei n.º 4.320/1964. Orçamento na constituição de 1988: Plano Plurianual (PPA), Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), Lei Orçamentária Anual (LOA). Leis de Créditos Adicionais.

16) (CESPE - Analista de Orçamento - MPU - 2010) O PPA contempla o planejamento para quatro anos de governo, iniciando-se no segundo ano de mandato presidencial e terminando no primeiro ano de mandato do chefe do Poder Executivo subsequente.

O PPA não se confunde com o mandato do chefe do Executivo. O PPA é elaborado no primeiro ano de governo e entrará em vigor no segundo ano. A partir daí, terá sua vigência até o final do primeiro ano do mandato seguinte. A ideia é manter a continuidade dos Programas.
Resposta: Certa

17) (CESPE - Procurador de Contas - TCE/ES - 2009) A LOA deve compreender o orçamento das empresas em que a União apenas diretamente detenha participação no capital social com direito a voto.

A lei orçamentária anual compreender o orçamento de investimento das empresas em que a União, direta ou indiretamente, detenha a maioria do capital social com direito a voto.
Resposta: Errada

18) (CESPE - Contador - UNIPAMPA - 2009) A LDO define as prioridades e metas a serem atingidas por meio da execução dos programas e ações previstos no PPA. Para que isso ocorra, entre outras diretrizes, a LDO estabelece as regras que deverão orientar a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA).

A lei de diretrizes orçamentárias compreenderá as metas e prioridades da administração pública federal, incluindo as despesas de capital para o exercício financeiro subsequente, orientará a elaboração da lei orçamentária anual, disporá sobre as alterações na legislação tributária e estabelecerá a política de aplicação das agências financeiras oficiais de fomento.
Resposta: Certa

19) (CESPE - Analista Judiciário - Administração - TRE/BA - 2010) Considere que os valores aprovados na LOA tenham sido subestimados ao não considerar o reajuste salarial previsto em acordo salarial assinado com o sindicato representativo dos servidores do TRE/BA. Nesse caso, o TRE/BA poderá solicitar ao Poder Executivo a abertura de créditos extraordinários para reforçar a dotação orçamentária de suas despesas com pessoal.

Os créditos extraordinários são os destinados a despesas urgentes e imprevisíveis, tais como em caso de guerra ou calamidade pública. Para reforçar a dotação orçamentária de uma despesa que não se enquadra como urgente e imprevisível deve ser usado o crédito suplementar.
Resposta: Errada

20) (CESPE - AUFC - TCU - 2009) Suponha que, pouco antes do final do exercício, seja necessário abrir um crédito adicional em um ente que apresentou os seguintes dados:
• a receita arrecadada ficou R$ 500.000,00 inferior à prevista, mas R$ 250.000,00 superior à despesa realizada;
• foram abertos R$ 120.000,00 em créditos extraordinários mediante cancelamento de dotações;
• foram reabertos R$ 135.000,00 de créditos adicionais não utilizados no exercício anterior;
• o superávit financeiro do balanço patrimonial do exercício anterior foi de R$ 245.000,00.
Nessas condições, é correto concluir que seria possível abrir crédito suplementar ou especial de até R$ 110.000,00.

Vamos à análise:Economia de despesa: não há excesso de arrecadação, que ficou R$ 500 mil abaixo da prevista. Há sim economia da despesa de R$ 250 mil (fixada – realizada), a qual ocorre quando a despesa executada durante o exercício é menor que a despesa fixada na LOA. Porém, economia de despesa não é fonte de recursos. Zero
• Crédito extraordinário: o crédito extraordinário aberto com fonte determinada deve ser ignorado, pois não deve ser descontado de nada. O crédito extraordinário aberto sem indicação de fonte de recursos é que deve ser abatido do excesso de arrecadação.
Zero
• Reabertura de créditos adicionais
(utiliza suas fontes) = - R$ 135 mil
• Superávit financeiro do balanço patrimonial do exercício anterior =
+ R$ 245 mil
Total = 245 - 135 = R$ 110 mil

Resposta: Certa

Prepare-se para o TCU com os cursos on-line de AFO em http://www.estrategiaconcursos.com.br/professores/3000/cursos

Forte abraço!
Sérgio Mendes

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Curso presencial em São Paulo

Estarei na cidade de São Paulo no feriado do dia 12 de outubro, quarta-feira, ministrando um curso de 8 horas de AFO em Exercícios para o ISS/SP, no Uni-equipe.
O endereço é R. Basilio da Gama,98 (Próximo ao mêtro República). Tel. 11 3159-0404. A turma já está confirmada!

Não divulguei antes porque foi mesmo em cima da hora, já que me convidaram ontem à noite (06/10), após a autorização do concurso para ISS/SP.

Para o pessoal de São Paulo, nos vemos lá!

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Lançamento da 2. edição do Livro de AFO - Teoria e Questões

Boa tarde amigos!

Minha assessoria já iniciou a pré-venda de algumas unidades da segunda edição do livro Administração Financeira e Orçamentária – Teoria e Questões.

Já na pré-venda é um dos  livros mais vendidos da Editora Método!

O valor será de R$ 70,00 mais postagem. Desconto de mais de 20%. Eu irei autografar todos os livros. Para quem tiver interesse envie nome para o autógrafo, endereço (com CEP), que passamos os dados da conta para depósito. Pessoal, não se trata de uma livraria, logo são poucas unidades que consegui a preço promocional e estou repassando.

Não vamos estipular uma data certa para recebimento do livro devido a greve dos Correios. Esperamos que em 10 dias no máximo o livro já esteja nas nossas mãos para envio.

Entre em contato pelo e-mail: assessoria.sergio.mendes@hotmail.com.
Se tiver algum dúvida sobre contéudo do livro clica em "livros" aqui nesse blog.

Abraços!

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Questões de AFO para TCU e CESPE - Parte III

Continuamos com a série de artigos sobre AFO e o edital do TCU. A cada artigo comentarei algumas questões sobre um tópico do edital.

Ressalto que mesmo que você não pretenda fazer a prova do TCU, acompanhe os artigos que trarei questões de diversos concursos do CESPE.

O tópico 2 é: Orçamento público: conceitos e princípios. Evolução conceitual do orçamento público. Orçamento-Programa: fundamentos e técnicas.


No artigo anterior comentei apenas questões sobre os princípios orçamentários. Agora abordaremos algumas questões sobre os demais itens.

11) (CESPE – Administrador – Ministério da Previdência Social – 2010) Para os críticos da concepção do orçamento integrado ao planejamento, gera-se forte tendência à perpetuação de programas e à preservação dos recursos assegurados ao longo do tempo. Quanto mais intenso e acelerado for o incrementalismo orçamentário, mais essa tendência à inércia se acentua.

O orçamento integrado ao planejamento evita o incrementalismo. No orçamento tradicional, desvinculado do planejamento, é que se gera forte tendência à perpetuação de programas e à preservação dos recursos assegurados ao longo do tempo. Quanto mais intenso e acelerado for o incrementalismo orçamentário, mais essa tendência à inércia se acentua.
Resposta: Errada
(CESPE - Analista Judiciário – Administração - TRE/BA - 2010) Um dos objetivos estratégicos do TRE/BA consiste em aprimorar a comunicação com o público externo. Para tanto, o plano de atuação institucional do Tribunal estabeleceu como objetivo: “Aprimorar a comunicação com o público externo, com linguagem clara e acessível, disponibilizando, com transparência, informações sobre o papel, as ações e as iniciativas do TRE/BA, o andamento processual, os atos judiciais e administrativos, os dados orçamentários e de desempenho operacional”.
Internet: <www.tre-ba.gov.br> (com adaptações).
Tendo como referência o texto acima, julgue o item seguinte acerca de planejamento e transparência de informações orçamentárias.
12) O orçamento-programa permite a alocação de recursos visando à consecução de objetivos e metas, além da estrutura do orçamento ser direcionada para os aspectos administrativos e de planejamento, o que vai ao encontro do planejamento e da gestão estratégica do TRE/BA.


O orçamento-programa é um instrumento de planejamento da ação do governo, por meio da identificação dos seus programas de trabalho, projetos e atividades, com estabelecimento de objetivos e metas a serem implementados e previsão dos custos relacionados. Permite a alocação de recursos visando à consecução de objetivos e metas, além da estrutura do orçamento ser direcionada para os aspectos administrativos e de planejamento, o que vai ao encontro do planejamento e da gestão estratégica do TRE/BA.
Resposta: Certa

13) (CESPE – AUFC – TCU – 2009) Um dos desafios do orçamento-programa é a definição dos produtos finais de um programa de trabalho. Certas atividades têm resultados intangíveis e que, particularmente na administração pública, não se prestam à medição, em termos quantitativos.

A definição dos produtos finais de um programa de trabalho é um dos desafios do orçamento-programa, já que algumas atividades também adicionam valores intangíveis, em complemento aos físicos. É difícil para os sistemas contábeis mensurarem esse tipo de valor e, particularmente, na administração pública, há dificuldades para a medição, em termos quantitativos.
Resposta: Certa

14) (CESPE – Administrador – Ministério da Previdência Social – 2010) A execução orçamentária no Brasil, representada pelo modelo gerencial, caracteriza-se pelo controle rígido do objeto dos gastos, independentemente da consecução dos objetivos e das metas.

A execução orçamentária no Brasil, representada pelo modelo gerencial do orçamento programa, enfatiza o objetivo do gasto e os resultados. O orçamento tradicional é que se caracteriza pelo controle rígido do objeto dos gastos, independentemente da consecução dos objetivos e das metas.
Resposta: Errada

15) (CESPE - Contador – Min Saúde – 2010) Uma das diferenças essenciais entre o orçamento tradicional e orçamento-programa diz respeito ao planejamento. Enquanto o orçamento tradicional é o elo entre o planejamento e as funções executivas da organização, no orçamento-programa, os processos de planejamento e programação são dissociados.

Uma das diferenças essenciais entre o orçamento tradicional e orçamento-programa diz respeito ao planejamento. Enquanto o orçamento-programa é o elo entre o planejamento e as funções executivas da organização, no orçamento tradicional os processos de planejamento e programação são dissociados.
Resposta: Errada

Prepare-se para o TCU com os cursos on-line de AFO em
http://www.estrategiaconcursos.com.br/professores/3000/cursos

Forte abraço!
Sérgio Mendes

Coloque abaixo seu melhor e-mail e fique por dentro das novidades